31 de dezembro de 2010

31 de dezembro: Último dia do ano civil - Te Deum laudamus!

Fim do Ano Civil
Dia de Ação de Graças a Deus


É o dia de ação de graças a Deus pelos benefícios dele recebidos 
durante o ano que vai findar. A gratidão é chave para 
recebermos mais dadivosos benefícios. Seja sincera e cordial 
a nossa ação de graças ao bom Deus! - Canta-se, nesta ocasião, 
o "Te Deum laudamus" (Nós vos louvamos, ó Deus).

Eis-nos chegados ao fim deste ano! Quantos benefícios não nos
fizestes, ó Senhor, tanto à alma como ao corpo! Quem poderá
jamais enumerá-los? Que ações de graças, pois não vos devemos
dar hoje! Felizes de nós, se tivéssemos correspondido aos vossos
benefícios. Mas ai! Sentimos que a consciência nos exproba
a nossa ingratidão. Quantos pecados cometemos em todo este ano!
Quantas virtudes deixamos de praticar! Que será de nós, ó Senhor,
no dia em que nos chamardes a dar-vos contas? Com um coração
cheio de reconhecimento e ao mesmo tempo traspassado de dor,
nós vos pedimos humildemente perdão.
Aceitai, Deus de bondade, este nosso ato: perdoai nossos pecados
e dai-nos vossa divina graça, para que comecemos e santamente
acabemos o novo ano.
Assim o propomos e assim o esperamos, confiados em vossa graça,
assim seja.

(Manual de Orações. Associação Imaculado Coração de Maria e
São Miguel Arcanjo. RJ, 2001. P. 81).


Te Deum laudamus!
Santo Ambrósio e Santo Agostinho (387 AD)



Concede-se indulgência parcial ao fiel que recitar o hino Te Deum (A vós, ó Deus) em ação de graças, e será plenária, quando recitado em público no último dia do ano. (Manual das Indulgências aprovado pela Santa Sé e publicado em 1990 pela CNBB. Edições Paulinas: SP, 1990, P.15-19).


Para lucrar a indulgência plenária, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado até venial, requerem-se a execução da obra enriquecida da indulgência e o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística, e oração nas intenções do Sumo Pontífice. (Pontos essenciais sobre a doutrina das Indulgências extraídos do "Manual das Indulgências" editado pela Penitenciária Apostólica em 29 de junho de 1968).


Te Deum laudamus: te Dominum confitemur.
Te aeternum Patrem omnis terra veneratur.
Tibi omnes Angeli; tibi caeli et universae Potestates;
Tibi Cherubim et Seraphim incessabili voce proclamant:
Sanctus, Sanctus, Sanctus, Dominus Deus Sabaoth.
Pleni sunt caeli et terra maiestatis gloriae tuae.

Te gloriosus Apostolorum chorus,
Te Prophetarum laudabilis numerus,
Te Martyrum candidatus laudat exercitus.
Te per orbem terrarum sancta confitetur Ecclesia,

Patrem immensae maiestatis:
Venerandum tuum verum et unicum Filium;
Sanctum quoque Paraclitum Spiritum.
Tu Rex gloriae, Christe.
Tu Patris sempiternus es Filius.
Tu ad liberandum suscepturus hominem,
non horruisti Virginis uterum.
Tu, devicto mortis aculeo, aperuisti credentibus regna caelorum.
Tu ad dexteram Dei sedes, in gloria Patris.

Iudex crederis esse venturus.
(hic genuflectituir)
Te ergo quaesumus, tuis famulis subveni:
quos pretioso sanguine redemisti.
Aeterna fac cum sanctis tuis in gloria numerari.

Salvum fac populum tuum, Domine, et benedic hereditati tuae.

Et rege eos, et extolle illos usque in aeternum.
Per singulos dies benedicimus te;
Et laudamus Nomen tuum in saeculum, et in saeculum saeculi.
Dignare, Domine, die isto sine peccato nos custodire.

Miserere nostri Domine, miserere nostri.

Fiat misericordia tua,
Domine, super nos, quemadmodum speravimus in te.
In te, Domine, speravi:
non confundar in aeternum.

V. Benedicamus Patrem et Filium cum Sancto Spiritu.

R. Laudemus et superexaltemus eum in saecula.


V. Benedictus es Domine in firmamento caeli.
R. Et laudabilis, et gloririsus, et superexaltatus in saecula.

V. Domine exaudi orationem meam,
R. Et clamor meus ad te veniat.

V. Dominus vobiscum.
R. Et cum spiritu tuo.

Oremus.
Deus, cujus misericordiae non est numerus,
et bonitatis infinitus est thesaurus:
piissimae majestati tuae pro collatis donis gratias agimus,
tuam semper clementiam exorantes;
ut qui petentibus postulata concedis,
eosdem non deserens, ad praemia futura disponas.
Per Christum Dominum nostrum. Amen.

Nós vos louvamos, Senhor: nós Vos glorificamos.
A Vós, eterno Pai, adora toda a terra.
A Vós todos os anjos, os Céus e Potestades;
A Vós os Querubins e Serafins, sem cessar proclamam:
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos exércitos.
Cheios estão os Céus e a terra da majestade de Vossa glória.
O glorioso coro dos Apóstolos,
A venerável assembléia dos Profetas,
O exército brilhante dos Mártires,
E a santa Igreja por toda a redondeza da terra Vos louvam:
Pai de imensa majestade,
E Vosso adorável, verdadeiro e único Filho,
E também a Vosso Espírito Santo Consolador.
Vós sois Rei da glória, ó Cristo.
Vós, sempiterno Filho do Pai,
Vós, tomando a peito libertar o homem,
não tivestes asco ao seio da Virgem.
Vós, vencendo a morte, abristes aos crentes o reino dos Céus.
Vós estais sentado à dextra de Deus, na glória do Pai.
Cremos que haveis de vir como juiz.
(aqui ajoelha-se)
Dignai-Vos, pois, assistir a Vossos servos:
que haveis redimido com Vosso precioso sangue;
Fazei que sejam do número dos Vossos santos na glória.
Salvai o Vosso povo, Senhor, e abençoai a Vossa herança.

Governai-os e exaltai-os para sempre.
Nós Vos bendizemos todos os dias;
E louvamos o Vosso nome para todo o sempre.

Dignai-Vos, Senhor, neste dia conservar-nos sem pecado.
Compadecei-Vos de nós, Senhor, compadecei-Vos de nós.
Desça sobre nós a vossa misericórdia,
Senhor, segundo a esperança que em Vós pusemos.
Em Vós, Senhor, esperei:
jamais serei confundido;

V. Bendigamos ao Pai e ao Filho com o Santo Espírito.
R. Louvemo-lO e engrandeçamo-lO por todo o sempre.

V. Bendito sois, Senhor, no firmamento do Céu.
R. Louvável, glorioso e exaltado por todo o sempre.


V. Senhor, ouvi nossos rogos.
R. E chegue até Vós o meu clamor.

V. O senhor esteja convosco.
R. E com o vosso espírito.

Oremos.
Deus, cuja misericórdia é sem limites
e infinito o tesouro da Vossa bondade,
agradecemos à Vossa Majestade os dons concedidos,
suplicando Vossa clemência:
e pois que nada recusais,
dispende-os para os prêmios eternos.
Por Cristo Nosso Senhor. Amém.
Tradução: Missa Quatidiano e Vesperal. Dom Gaspar Lefebvre, OSB.


Nenhum comentário:

Postar um comentário